Um Dia em Amarante

Casa da Calçada  - 26

Durante a nossa estadia na Casa da Calçada (ver) tivemos oportunidade de conhecer a pequena mas idílica cidade de Amarante com as suas majestosas paisagens.

Lembro-me que quando andava na faculdade tinha mais do que uma colega desta cidade, mas nunca cheguei a conhecê-la. Erro meu, não sabia o que estava a perder!
Amarante é uma cidade pertencente ao distrito do porto com cerca de 11 mil habitantes e banhada pelo rio Tâmega.

Passamos apenas um dia à descoberta da cidade, que se transformou numa maravilhosa experiência.

Amarante - 8m

Começamos pela belíssima Ponte de São Gonçalo, uma vez que passei a minha noite anterior a vislumbrá-la da janela do quarto na Casa da Calçada, e assim muito ansiei atravessá-la!

Pensa-se que terá origem numa antiga ponte romana, no entanto, atribui-se a sua construção ou reconstrução ao beato Gonçalo de Amarante por volta de 1250. Cerca de cinco séculos mais tarde não resistiu às cheias do rio Tâmega, e em 1809 teve a sua maior provação, a resistência e heróica defesa contra as tropas de Napoleão durante a Segunda Invasão Francesa! Este povo era resistente!

Desde 1910 que este exemplar de arte e história é classificada como Monumento Nacional.

Amarante - 9

Continuamos à descoberta da cidade e após atravessarmos a ponte chegamos à Igreja e Convento de São Gonçalo.

São Gonçalo ou beato Gonçalo, como é considerado pela Igreja Católica, veio duma família nobre e estudou para sacerdote, decidiu depois partir à descoberta do mundo através da peregrinação por Roma e Jerusalém, mas quando regressou à sua terra natal, Vizela, já o sobrinho lhe tinha usurpado o lugar de sacerdote (a família é do piorio!) e ele decidiu rumar às margens do rio Tâmega onde pregou o Evangelho e se fixou no local que hoje é Amarante por volta do século XIII, numa ermida por ele erguida que se pensa ser o local onde hoje se vislumbra a Igreja e Convento de São Gonçalo.

No entanto, as obras propriamente ditas iniciaram-se em 1543, sob o reinado de João III, tendo prolongado-se até ao século XVIII, com intervenções no século XX.

Este exemplar de arquitetura religiosa, combina mais do que um estilo, o renascentista, o maneirista, o barroco e o oitocentista.

Amarante - 6

Possui uma fachada maravilhosa, com a sua imponente varanda dos reis e o pórtico que representa diferentes figuras religiosas, e no interior destacam-se o órgão de tubos e o túmulo do beato Gonçalo.

Continuamos a nossa visita à cidade, passeando simplesmente pelas simpáticas ruelas, preenchidas com comércio tradicional e cheias de tradição, mas sim, também há as típicas “lojinhas parolas”, mas para essas não disponibilizo muito da minha atenção!

Amarante - 5

Por fim, decidimos terminar a nossa visita à cidade na Confeitaria da Ponte, esta preciosidade aberta desde 1930, serve os melhores doces conventuais da região, e ainda nos congratula com uma monumental vista sobre o Tâmega, mesmo junto à Ponte de São Gonçalo.

Amarante - 2

Foi um dia diferente, a conhecer o nosso Portugal, as nossas terras e a perceber que não precisamos sair do país para nos maravilharmos com as paisagens, com a comida e com as pessoas, temos tudo aqui, bem pertinho e bem junto a nós, basta partirmos à sua descoberta!

Amarante - 1

Para quem quiser passar mais dias por Amarante, esta terra tem muito mais para nos oferecer, como por exemplo, a Igreja de São Domingos e o Museu de Arte Sacra, mesmo ao lado da Igreja de São Gonçalo, a Igreja de São Pedro, o Solar dos Magalhães, edifício do Século XVIII em ruínas, o Parque Florestal de Amarante, o Museu Municipal Amadeo de Souza Cardoso, e para os mais ativos, podem sempre optar pela descoberta da natureza através dos percursos pedestres, pelo Campo de Golfe, pelo Parque Aquático de Amarante ou então um pequeno “salto” ao Douro.

Há uma imensidão de coisas por descobrir, basta querermos.

Amarante - 3

Amarante e a Casa da Calçada são uma pequena delícia imperdível!

English Version

Photos: Flavors & Senses

This entry was posted in Cidades and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

3 Comments

  1. Nuno Meireles
    Posted Junho 29, 2015 at 4:42 pm | Permalink

    Fez-me impressão a autora deste texto chamar a determinadas lojas do nosso comércio tradicional de “lojas parolas”. Sinceramente, gostava de entender o que a autora/turista qualifica de “lojas parolas”. Será que por ter condições financeiras para ficar instalada na Casa da Calçada lhe dá o direito de chamar “parolo” a negócios de gente humilde e trabalhadora como é a gente de Amarante? Para mim foi um insulto a todos os amarantinos. E não é o facto de elogiar tanta coisa boa que a nossa terra tem que a vai “livrar” dese comentário infeliz. No melhor pano caí a nódoa, já diz a sabedoria popular, e eis a prova disso mesmo. Lamentável tamanha falta de respeito. Por fim, gostava de dizer à autora e turista, que Amarante não se resume só ao centro da cidade ou aos equipamentos turísticos – destinados a gente com mais dinheiro -. Pelas 26 freguesias (antes da reforma administrativa do poder local eram 40) que compõem o concelho, há muito mais a descobrir. São Igrejas que fazem parte da Rota do Românico, são aldeias históricas (mas estas lá serão demasiado parolas para serem visitadas), paisagens naturais fantásticas… enfim, um sem número de atrativos que de certeza não é para todos visitarem e deslumbrarem-se com tanta beleza.

    • Nuno Meireles
      Posted Junho 29, 2015 at 4:47 pm | Permalink

      Reparei que se tratará de um autor e não de uma autora, fica aqui o meu reparo e pedido de desculpas.

    • Posted Junho 30, 2015 at 9:12 am | Permalink

      Estimado Nuno,

      Antes demais obrigado pela atenção dada ao nosso artigo. Uma vez que lhe deu tanta atenção deve ter lido que falamos bem sobre o comércio tradicional, algo que se for ler o blog mais atentamente vai verificar que se repete por esse mundo fora. Quanto às lojas “parolas” não pretendemos, nem queremos ofender ninguém, mas que existem em Amarante e em qualquer cidade do mundo lojas que nada acrescentam à cidade é algo que não poderá negar, existem coisas boas e más em todo o lado, e também isso terá o seu encanto, ou talvez não (depende do ponto de vista). No entanto se considera que nós cometemos maus juízos de valor deixe-me dizer-lhe que cometeu o mesmo, ao dizer que julgamos as pessoas de uma determinada forma por “termos condições financeiras”. Estivemos na Casa da Calçada em trabalho como poderia verificar se estivesse um pouco mais atento, além de que trabalhamos e muito para conseguirmos o que temos e o que desejamos para o nosso futuro.

      Escrevemos sobre gastronomia e viagens de Luxo, e felizmente Amarante como pequena cidade que é tem os seus encantos nesse campo. Felizmente também algumas largas centenas dos cidadãos de Amarante que partilharam e “gostaram” no nosso artigo interpretaram o nosso texto de uma forma bem diferente da sua, não como um ataque feroz, mas como um elogia a uma bonita cidade do interior!

      Infelizmente e porque trabalhamos árdua e diariamente mais não tivemos do que uma manhã para visitar a cidade, pelo que tivemos de nos cingir ao centro e aos equipamentos “destinados a gente com mais dinheiro” como o Nuno gosta de insistir.

      Voltando às coisas boas teremos mais oportunidades de visitar a cidade, e vamos seguir os seus conselhos de procurar igrejas e aldeias históricas ( se as acha parolas isso já é uma ideia sua, nós sabemos muito bem ao que nos referimos quanto a “lojas Parolas”)

      Até uma próxima visita!

Skomentuj

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*