The Christmas Wine Experience – The Yeatman

Decorreu no passado final de semana de 1 e 2 de Dezembro, no idílico hotel The Yeatman, aquele que já pode ser considerado o melhor evento vínico da região Norte do País, podendo facilmente arriscar-me a ir mais além. O evento juntou mais de 120 vinhos nacionais dos mais diversos produtores e regiões, criteriosamente escolhidos por Beatriz Machado, Directora de Vinhos do Hotel.

Começando pelo espaço, já existe pouco a dizer sobre o The Yeatman, um sem numero de prémios, a melhor vista da cidade, uma estrela Michelin, ótimo serviço, e uma excelente decoração entre o clássico e o minimal que ajudou a tornar este evento ainda mais interessante e acolhedor. A entrada de 20 ou 30 euros, dependendo da data de compra, permitia ao visitante a participação no evento, com direito a provar todos os vinhos e também a um desconto de 10% na compra dos vinhos em prova, uma vez que aconteceu em simultâneo o lançamento do clube Yeatman, o site de compras online do Hotel.

A escolha dos produtores, recai essencialmente em pequenos e médios produtores que criam o seu mercado em torno de um nicho, mais interessado e envolvido no universo do vinho, entre eles, clássicos como a Adega da Cartuxa, Palácio da Brejoeira ou Mouchão, às revelações dos últimos anos como a Quinta do Soalheiro e a jovens produtores como a IrMãos.

Pegando neste último, após uma pequena troca de palavras com um dos sócios, fiquei agradado com o projeto, com a localização em pleno Douro e claro, com o vinho branco de 2010, infelizmente não faltarão oportunidades para conhecer o tinto que apresentavam com monocasta de Tinta Roriz. Uma Casa que certamente iremos ouvir falar num futuro próximo.

O produtor Luís Cerdeira da Quinta do Solheiro

Quem segue o blog, nomeadamente os artigos sobre restaurantes, sabe da minha adoração por este vinho, em particular, o Primeiras Vinhas, que ano após ano consegue ser um dos melhores vinhos feitos no nosso País, um feito único para vinhos verdes. Infelizmente temos de esperar até Maio para conhecer o novo Primeiras Vinhas. Assim, o destaque foi para o novo alvarinho de 2012, engarrafado em Novembro, um vinho com aromas a fruta tropical e um pouco de citrinos, mais uma magnifica edição deste clássico Alvarinho.

Outra casa que me revelou particular interesse, foi a Quinta do Ameal, pela presença do produtor e claro pelos vinhos que tenho acompanhado nos últimos tempos, uma quinta de grande dedicação à casta Loureiro. Felizmente houve tempo e vontade por parte de Pedro Araújo para uma apresentação mais exaustiva dos seus produtos, o clássico Loureiro e o Escolha. Mas o destaque desta prova foi claramente para um Loureiro que julgo ser de 2001, que mantinha toda a força, frescura e jovialidade apesar dos seus 11 anos, e para um vinho doce, Quinta do Ameal Special Harvest, um vinho raro, com uma produção de 600 garrafas (37cl), com um sabor fantástico a passas e mel.

Pedro Araújo da Quinta do Ameal

Outro destaque nos brancos vai para o Pêra-Manca da Adega da Cartuxa, um vinho exemplar, concentrado e de aromas complexos. No entanto não deixa de ser um rótulo do qual se espera sempre mais. Já nos tintos o Scala Coeli 2009, este ano com monocasta de Touriga Franca, é um vinho exuberante, cheio de aromas doces e florais e um fantástico sabor.  Outros destaques vão para o Colheitas Antigas 2002 da Mouchão, um vinho relançado agora depois de guardado e envelhecido na herdade, uma iniciativa e um vinho de excelência. Um Vinho de aromas maduros e um final de boca longo, longo…

Também os vinhos de José Bento dos Santos e a sua Quinta do Monte d’Oiro, se mostram em grande forma, nomeadamente o Ex Aequo.  No Douro também os exemplares da Quinta do Crasto agradaram bastante assim como o Quinta do Noval 2008.

Um das apostas do evento foram também espumantes com a presença dos mais emblemáticos produtos nacionais, Murganheira, Raposeira, São Domingos, Casa Ermelinda Freitas, Filipe Pato e Wijion sem esquecer o Soalheiro. E claro, num evento realizado num hotel vínico no Porto,  não poderia faltar o vinho que identifica a cidade. Entre os Portos, era possível provar os mais variados Vintages de vários produtores e anos, tawnys de 30 e 40 anos  e um colheita de 1969 da Graham’s, simplesmente fantástico.

Ficaram ainda por provar imensos vinhos e por conhecer vários produtores, mas infelizmente o nosso tempo foi curto para tanta e tão boa oferta. Este Christmas Wine Experience, tornou-se neste seu 2º ano um evento sólido, a figurar na lista de eventos de qualquer interessado na área e que deixa vontade de que passem a criar um Wine Experience para cada época ou festa do ano. Um evento fantástico.

Aliado ainda ao evento existia ainda a hipótese de almoçar ou jantar (25€), pequenos pratos da autoria do estrelado Ricardo Costa na companhia de muitos dos vinhos do evento. Mas sobre isto escreverei num próximo post (ver aqui).

Esta entrada foi publicada em Eventos e com as tags , , , , , , , . Bookmark the link permanente. Publicar comentário ou deixar um trackback: URL de Trackback.

Publicar Comentário

O seu endereço de e-mail nunca será publicado ou partilhado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*

Pode usar as seguintes tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

  • PRÉMIOS FLAVORS & SENSES

  • PARCERIA