Paris – Les Bouquinistes

Se a um dos bairros mais gastronómicos da cidade juntarmos um restaurante com vista para o Sena e a bela Pont Neuf, com a assinatura de Guy Savoy, temos promessa de sucesso. O Les Bouquinistes foi completamente remodelado nos finais de 2013, dando ao espaço um ambiente moderno e cosmopolita com mais inspiração em Nova Iorque do que nos espaços clássicos parisienses. Como elemento decorativo não se esqueceram dos livros que lhe dão nome, e dos vinhos, ou não estivéssemos nós num restaurante francês. Falando em vinhos, lindíssimo o expositor em vidro criado por Jean Michel Wilmotte que aproveitou muito bem toda a iluminação do restaurante.

Apesar do selo de Guy Savoy, este funciona como uma referência, em vez dos habituais chefes ausentes que controlam a orientação do restaurante e assinam as cartas, sendo a cozinha totalmente controlada por Stéphane Perraud, assistente de Savoy há vários anos. A cozinha segue as paixões de Savoy, com ingredientes exóticos, combinações originais e pratos leves com recurso a bastantes legumes e ervas.

Ao almoço com a carta de  “cozinha do mercado” é possível escolher uma entrada, prato e sobremesa (entre duas opções de cada um) por 35€  (inclui copo de vinho), ou 31€, entrada/prato ou prato/sobremesa, também com vinhos. Pelo que pode certamente ser uma boa opção, ainda que menos criativa que a carta normal, para quem quiser um almoço sobre o Sena, com preços mais convidativos.

Dando total liberdade à cozinha começamos com uma simpática seleção de pães e azeitonas, aos quais se foram seguindo as entradas a bom ritmo.


Terrina de foie gras, chutney de frutos tropicais e kumquat
Não poderíamos ter começado melhor. Excelente a textura e sabor da terrina, que se conjugou muito bem a gordura com a acidez dos restantes elementos.

A acompanhar um copo de Château la Rose Bellevue 2012 Sauvignon Blanc, que com as suas notas tropicais e acidez harmonizou muito bem com o prato.

Lagostins em caldo Thai, creme de cenoura e gengibre, legumes grelhados
O prato revelou-se menos picante do que o anunciado, com um caldo translúcido e saboroso, preparado com as cabeças do marisco. O lagostim foi sem dúvida o destaque do prato, cozinhado no ponto, com uma textura irrepreensível. Os legumes, assim como os rebentos deram uma ótima envolvência ao prato.

O Château de Chamirey Blanc 2008, um 100% Chardonnay, mostrou-se um grande vinho e completou muito bem com este prato e o que se lhe seguiu.


Vieiras, puré de couve flor, cogumelos e chouriço
A simplicidade de um prato que veio a revelar-se a estrela do almoço. Excelentes e bem cozinhadas vieiras, com couve flor em puré e finas lascas, cogumelos salteados com chouriço e ar deste último. Uma excelente conjugação de sabores, texturas e aromas, num prato mágico.


Ovo escalfado, tupinambo, pato fumado e coulis de agrião
Mais um prato que reflete a leveza e elegância da carta, ovo cozinhado na perfeição sobre um macio puré de tupinambo, pato levemente fumado, e um interessante e bonito coulis de agrião, tudo ligado por uma vinagrete de trufa preta que eleva os restantes elementos. Textura, sabor e beleza num excelente prato.

Harmonizou-se com um Lucien Muzard, Santenay Maladière 1er cru 2011, um Pinot da Borgonha, ainda bastante jovem, mas que fez uma boa conjugação com a sua mineralidade e notas florais.


Leitão, Barriga de porco confitada, molho de alho negro, cogumelos e lentilhas
Um prato com altos e baixos, grande sabor no seu conjunto, com apenas a pele do leitão a desiludir, não estava crocante, e era esse o elemento que faltava ao prato para brilhar. Fantástico o estufado de lentilhas, que acompanhava o prato, bem que podia ser uma refeição por si só que eu ficaria feliz.

A acompanhar um Syrah 2011, La Rosine de Michel & Stephane Ogier, um vinho de excelente relação qualidade/preço, que funcionou bem com o prato.


Chocolate
Uma pequena sobremesa para terminar uma já farta refeição. Chocolate 75%, fino e crocante praliné, delicada ganache e um delicioso sorbet de chocolate com nibs de cacau. O doce apresentou-se no ponto certo, deixando sobressair a qualidade do chocolate. Uma boa sobremesa, ainda que em Paris se espere sempre mais e mais quando o assunto é pastelaria.

O serviço tem todo o profissionalismo da restauração francesa, sem as grandes etiquetas clássicas, permitindo um ambiente mais descontraído e  quase caseiro, uma vez que muitos dos clientes da sala eram visitantes regulares.

Considerações Finais
Em resumo, o Les Bouquinistes tem mais para nos oferecer do que apenas um selo com o nome de Guy Savoy, tem um caminho e uma identidade própria, com uma cozinha de grande qualidade, ingredientes bem trabalhados e a mão afinada de Stéphane Perraud. Aliando isto a uma decoração atrativa e um ambiente descontraído com vista sobre o Sena e uma das mais elegantes pontes da cidade, não pode deixar de ser uma boa opção, quer para quem se aventurar na carta como nós, ou para quem optar por um almoço mais em conta com uma das melhores relações entre custo e beneficio daquela região da cidade.

Les Bouquinistes
53, quai des Grands Augustins, PARIS
+33 (0)1 43 25 45 94
bouquinistes@guysavoy.com

Publicado em Restaurantes - França | Tags , , , , , , | Deixar comentário

Louro – Conrad Algarve

O Luxuoso hotel Conrad Algarve, aberto em 2012, apostou forte na gastronomia, com a abertura do Gusto , do chef Heinz Beck (***Michelin), e que será nos próximos anos um dos mais sérios concorrentes à tão almejada estrela. Com este encerrado para descanso do Staff a escolha recaiu sobre o segundo restaurante do hotel, o Louro, um espaço mais descontraído, que serve também de área de pequeno almoço, e que apresenta uma cozinha mais descontraída que o Gusto, com uma matriz portuguesa, tentando mostrar os nossos ingredientes e as nossas combinações a uma clientela internacional.

A decoração do amplo espaço está bem conseguida,  criado em torno de um belo e iluminado centro oval de onde parte a disposição das mesas, bastante correta aliás, permitindo a privacidade mesmo com casa cheia. Os tons quentes tornam o ambiente mais aconchegante, o que nem sempre acontece neste tipo de restaurantes de hotel com salas amplas, a vista sobre a infinity pool elegantemente iluminada como pano de fundo é também digna de destaque.

Começamos a refeição com uma boa selecção de pães, enquanto se fazia a escolha dos pratos.


Torchon de Foies Gras, gelatina de moscatel, casca de laranja caramelizada, manteiga de porto e croutons de brioche (11€)
Um prato bem equilibrado entre os seus elementos, com excepção para o tamanho do torchon, um pouco grande, face aos restantes elementos que compunham o conjunto.  O jogo entre o Doce e o amargo foi muito bem conseguido assim como as texturas. Ótima a manteiga de porto.


Barriga de porco marinada em pimento assado e louro, amêijoas, batata salteada, puré de maçã e crocante de pele de porco (10€)
Um prato que não prometendo, nos remete obviamente para a clássica carne de porco à alentejana. O porco, o pimento, a batata e a amêijoa estão presentes e o sabor traz consigo essas memórias, num prato bonito, bem pensado em termos de textura onde os elementos brilham tanto separadamente como em conjunto.


Risotto de marisco do Algarve, tomate concassé, espuma de manjericão e aroma de mar (24€)
Um arroz bem caldoso, a tender mais para o lado português do que do risotto italiano, bem apresentado com todos os elementos cozinhados separadamente ,com os tempos adequados. Boa introdução do peixe e do seu caldo que deu mais profundidade ao prato assim como a espuma. Muito bem conseguido.


Filete de Bacalhau curado a sal, brandada de bacalhau, chouriço estaladiço, cevada pérola e ragout de pimento com azeite de salsa e alho (26€)
Confesso que os pratos de bacalhau sem a nossa cura tradicional me deixam sempre um pouco de pé (digamos Boca) atrás, não é embirração é uma questão de hábito. Este, não foi excepção, prato bem conseguido, com o bacalhau a conservar a sua gelatina e textura ideal, onde falta apenas aquele sabor transmitido pelo sal e a seca. Conjunto bem conseguido, com a ótima brandada e a cevada, com bastante sabor e importante no bom jogo de texturas criado no prato. É uma boa forma de mostrar o bacalhau a um público mais internacional.


Selecção de queijos europeus artesanais, pêra cozida em vinho, uvas, figos e uma selecção de pães e bolachas (12€)
Uma bonita apresentação de queijos nacionais e internacionais, entre eles, azeitão, serra, ilha e roquefort, produtos de boa qualidade e acompanhados a preceito.


Tarte de Banana caramelizada morna, gelado de rum e passas (10€)
Uma combinação que dificilmente pode dar errado, bem apresentada, com a massa fina, bem cozida e crocante, caramelo no ponto. O gelado de boa qualidade completou bem na temperatura e na relação do rum com a banana. Um pouco menos de doçura seria o ideal para mim,  no entanto, ótimo para gulosos.

Acompanhamos a refeição com um dos novos e bons produtores do Algarve, Quinta dos Vales com um Marquês dos Vales Selecta Blanc des Noirs 2012, um vinho bastante fresco, com um final de boca agradável e leve. Um produtor que alia arte, com inúmeras exposições e visitas aos vinhos e que se tem vindo a revelar um dos mais prometedores do Algarve.

O Serviço é profissional, correto e afável, com apenas um ou outro ponto a melhorar, nomeadamente na explicação dos pratos.

Considerações Finais
Sendo um Hotel de luxo, esperamos sempre o melhor, ainda que muitas das vezes não se venha a verificar, neste Louro, e não sendo o 1º restaurante do Conrad Algarve ( esse fica reservado para o Gusto, que certamente virá a trazer alegrias e estrelas ao hotel), não compromete de forma alguma. A proposta de transformar ingredientes e influências portuguesas numa cozinha mais internacional que cative os clientes do hotel é mais do que bem sucedida e pelas mãos de um Australiano. Pratos muito bem preparados,  pontos de cozedura certíssimos, e criações com sabor fazem deste Louro uma aposta certa para quem ficar no hotel ou simplesmente para quem quiser jantar por lá.

Conrad Algarve
Quartos a partir de 209€
Estrada da Quinta do Lago, 8135-106 Almancil, Algarve (Portugal)
+351 289 350700

Nota
A Refeição descrita foi realizada a convite do Conrad Algarve, sendo a opinião e o texto da exclusiva responsabilidade do autor.

Publicado em Restaurantes - Algarve | Tags , , , , , , , , | Deixar comentário

Conrad Algarve

Vou falar-vos sobre uma das experiências mais requintadas, luxuosas e memoráveis que já vivemos!

Tivemos o privilégio de conhecer um local capaz de reunir  todo o conforto, beleza e arte de bem receber.

lobby e restaurante Louro

O Hotel Conrad Algarve, aberto desde 2012, situado na Quinta do Lago, é já considerado um dos melhores hotéis de Portugal, tendo já arrecadado dos mais variados prémios de hotelaria a nível mundial.

Roof Garden Suite

A piscina da Roof Garden Suite

É um hotel contemporâneo,  com 154 quartos e suites que se repartem por seis andares, de design moderno com referências mouriscas. Todo o edifício foi meticulosamente pensado e construído sob a forma dum palácio português do século XIII. Sobre os quartos, tudo foi pensado até ao mais ínfimo pormenor, desde o tamanho das áreas, a varanda, os mármores detalhados, sem esquecer a mais pecaminosa tv de banheira.

O Conrad oferece um reflexo genuíno da cultura da região, cercado de belíssimas paisagens, lagos, jardins e piscinas. É magnifico acordar de manhã e vislumbrar, pela janela do quarto, o coração do Parque  Natural da Ria Formosa.

Gusto By Heinz Beck

Boa selecção de Gins no Lago Lounge

Este hotel consegue criar momentos memoráveis nos nossos pensamentos através de todos os seus serviços, desde os diferentes restaurantes, o Gusto (do aclamado chef Heinz Beck, 3* Michelin no La Pergola em Roma), o Louro, de influência portuguesa, e o Dado, com raízes Sul-americanas, até aos seus bares, o Lago Lounge e o bar Sereno, junto à piscina. Com o encerramento do Gusto a quando da nossa visita, acabados por jantar no Louro, que se revelou uma interessante surpresa com um Australiano ao leme de uma cozinha de inspiração Portuguesa, mas sobre isso falaremos num próximo artigo.

Voltando às piscinas, existe um grande conjunto de opções formando assim um dos ex-libris do hotel, desde a infinity pool à piscina interior, passando pelos seus vários lagos.

Infinity Pool


A sala mais romântica do Spa

Por sua vez, tivemos oportunidade de conhecer também o Spa, que foi criado a pensar única e exclusivamente no relaxamento, com tratamentos personalizados num ambiente privativo e deslumbrante.  O centro de bem-estar completa-se com um centro de fitness, um campo de ténis ou o serviço de concierge de golfe, um importante serviço para uns dos principais targets turísticos da região, ou não fossem os courses do Algarve um expoente da região.

Além de tudo isto, para o turismo de negócios, eventos e conferências existe  um salão e seis amplas salas de reunião, com luz natural e design moderno.

Kids Palace

Uma das coisas que mais me fascinou foi o Palácio das Crianças, não que tenha filhos, mas porque achei admirável a preocupação em criar um espaço para as crianças criado por crianças, sim, é verdade, este complexo para as crianças poderem passar o seu tempo, enquanto os pais aproveitam a sua estadia, foi criado com ajuda das crianças das escolas locais! Outro ponto que me deixou deveras encantada foi a parceria realizada entre o Conrad e uma Galeria de arte local, disponibilizando assim para quem frequenta o hotel, magníficas esculturas e pinturas que poderão ser adquiridas por quem o desejar.

Todos os serviços que possamos imaginar estão presentes no Conrad, todos eles pensados para antecipar todas as nossas necessidades. Por exemplo, não estando em cima da praia como a maioria das unidades hoteleiras algarvias, tem um shuttle sempre disponível para os hóspedes que pretendam conhecer as fantásticas praias da região. Falando em hóspedes, o hotel procura não só os clientes nacionais como  de diferentes públicos internacionais, por isso aqui não haverá barreiras linguísticas entre os clientes e o bem preparado staff.

É difícil descrever o que se sente quando se está no Conrad, cada vez tenho mais a certeza de que quanto maior a felicidade que sentimos mais complicado é traduzi-la em palavras!
Posso dizer-vos simplesmente que nos foi oferecido, com a maior perfeição possível, um serviço de excelência e de luxo no seu expoente máximo.

Afinal ainda é possível ser-se Rei ou Rainha por um dia!

Conrad Algarve
Quartos a partir de 209€
Estrada da Quinta do Lago, 8135-106 Almancil, Algarve (Portugal)
+351 289 350700

Fotos: Flavors & Senses / Conrad Algarve

Publicado em Hotéis | Tags , , , , , , , , | Deixar comentário

Florença – J. K. Place Lounge

Localizado na praça de Santa Maria Novella, o J.K. Place é um pequeno boutique hotel (podem ler o artigo sobre o hotel aqui) que procura dar o máximo de exclusividade aos seus clientes, não há salões amplos, o ambiente é calmo e a decoração levada ao limite do bom gosto. Aqui pretende-se privacidade e excelência de serviço. Daí  apenas um pequeno letreiro e a sua emblemática esplanada nos fazerem ver que estamos perante o hotel.

Voltando à esplanada, é o primeiro contacto que temos com o Lounge do hotel, optimizada para os dias quentes e solarengos de Florença, é durante o ano o sítio para ver e ser visto entre os locais na hora do aperitivo. Dentro da sala, a decoração mantém as linhas do hotel, com mesas baixas e poltronas a substituir as habituais mesas e cadeiras, e indicando que estamos ali para desfrutar de refeições mais casuais, um pequeno snack ou um cocktail.

Na carta, a influência é claramente italiana, com um toque contemporâneo na apresentação e nas combinações. Existe ainda a possibilidade de pedir os pratos em pequenas porções para partilhar, numa espécie de petiscaria toscana. Começamos a refeição com um simpático prosecco, como costume da região, e uma excelente selecção de pães ( o que já não é assim tão frequente).

Creme de abóbora
Interessante creme de abóbora, com destaque para a sua textura aveludada e o tempero corretíssimo com notas picantes.

Salada Caprese
Fresca e magnífica mozzarella de búfala na combinação clássica com tomate, aqui substituído por tomate cherry e manjericão. Uma leve e fresca entrada.

A acompanhar um copo de Erste+Neue Graner Pinot Grigio 2012, com boa minerlidade, frescura e acidez.

Raviolis de ricotta, com ragù de legumes
Um prato vegetariano, com foque nos raviolis gigantes recheados com queijo ricotta. A massa tinha a espessura e quantidade de recheio certa, a funcionar muito bem com o molho bem aromático de legumes onde se destaca principalmente o aipo assim como a doçura da cenoura. Um bom prato.

Acompanhou muito bem com um Erste+Neue Stern Sauvignon Blanc 2012 , frutado e flural com uma ótima acidez e final de boca.

Spaguetti com polvo, molho de tomate
Uma combinação menos usual de pasta e polvo, com um molho leve de tomate cherry salteado com manjericão. Massa no ponto certo, com sabor a mar e a funcionar muito bem com o molusco. Nota menos positiva para a textura do polvo, mais rijo que o ideal.

Le Coste Rosso di Montalcino 2009, com a madeira bem apresentada e frutos vermelhos com uma presença forte, fez o par com este prato.

 
Tiramisù
A habitual sobremesa italiana, com delicado e saboroso creme de mascarpone, com a quantidade certa de café e cacau. Uma excelente opção.


Gelado de Pistácio
Um gelado que não compromete, apesar de ficar uns níveis abaixo dos restantes pratos provados. Boa textura, mas de sabor industrial, pelo que tendo em conta a tradição da gelataria italiana esperamos sempre mais.

O Serviço é de extremo profissionalismo, cordial e presente nos momentos chave, pelo que pudemos usufruir  do máximo de privacidade, o que nem sempre acontece. A selecção dos vinhos a copo, não sendo brilhante, serviu muito bem o seu propósito.

Considerações Finais
O Lounge do J.K. Place segue as linhas do Hotel, pretende ser exclusivo e dar aos seus clientes o melhor serviço possível, e isso é conseguido. Da cozinha saem criações simples de base italiana que não comprometem em nada as suas origens, e que ganham quando o cenário de degustação passa para a sua bela esplanada. Um sítio a visitar, não só para quem segue tendências de moda e luxo mas também para quem pretende uma refeição leve num ambiente descontraído e menos frenético que em muitos dos restaurantes da cidade. Aos Domingos conta que o seu Brunch é imperdível, quem sabe numa próxima visita a Florença.

J.K. Place
Piazza di Santa Maria Novella, 7 – Florença
info@jkplace.com

Publicado em Restaurantes - Itália | Tags , , , , , , , | Deixar comentário

J K Place

Suspenso no coração da cidade de Florença, o J.K. Place é um requintado e luxuoso hotel. Situado na bela praça de Santa Maria Novella, que rouba o nome a uma das mais mediáticas igrejas da cidade, é adorado por todos que têm o privilégio de lá ficar.

Quem aprecia a sua bonita mas modesta fachada exterior não imagina o que se encontra no seu interior, posso apenas descrever-vos como elegância pura e genuína, sintetizada com séculos de arte!


O JK Place é uma espécie de casa de família e não um hotel, com harmoniosas lareiras, mobiliário neoclássico, candeeiros dos anos 50 e 60,  com antiguidades e bens colecionáveis que lembram as preciosidades de uma família que se acumulam ao longo de várias gerações.  Basicamente, tudo nos faz lembrar que estamos numa cidade artística, berço do renascimento.

Mal chegamos somos muito bem recebidos por um funcionário que nos encaminha até à  recepção, e qual não é o nosso espanto quando nos apercebemos que a recepção é uma  biblioteca!  Não há balcão, não há distância entre nós e o recepcionista, há sim uma mesa  repleta de livros, umas paredes que circundam a sala, também elas repletas de livros, e muito muito charme!

Este boutique hotel é constituído por apenas 20 quartos, o que enaltece ainda mais a sensação de que estamos num espaço só nosso, intimista, com toda a atenção direccionada só para nós. Os quartos mantém a mesma vertente arquitectónica que o restante hotel, conceito moderno com peças e pormenores neoclássicos, associados a toda a sofisticação e conforto necessários.

Descobrir os caminhos do J.K. Place é como passear por uma exposição de arte num pequeno museu, lareiras Louis XV e Charles X, gravuras do século XVIII em quadros de folha de ouro, estátuas do século XIX, mobiliário de Art Déco, esculturas do século XVIII ou mobiliário chinês, entre outras preciosidades.

Além de toda esta mistura de beleza, o hotel atinge o seu expoente máximo com dois recantos, o irrepreensível terraço e a deslumbrante esplanada!

O primeiro permite-nos apreciar uma bebida confortavelmente sentados num espaço sublimemente escondido com uma das mais etéreas vistas de sempre, a cúpula do Duomo de Florença.

O segundo, parte de uma espécie de clube multifacetado que inclui não só a esplanada mas também o restaurante e o bar, atrai toda uma panóplia de pessoas da sociedade florentina, desde empresários a locais elegantemente vestidos! Este espaço permite-nos apreciar também um bom vinho, um chá ou simplesmente um café, deleitar-nos com um agradável lanche ou degustar uma refeição de inspiração tradicional com um toque contemporâneo, ao mesmo tempo que apreciamos toda a vida de glamour de uma das mais bonitas praças que Florença nos oferece.

O J.K. Place é um local de elegância e de intimidade que consegue combinar uma atmosfera do passado ao mesmo tempo que oferece um serviço exímio em todas as suas particularidades.

Sem dúvida um dos hotéis mais charmosos de Florença!

J.K. Place
Quartos a partir de 330€
Piazza di Santa Maria Novella, 7 – Florença
info@jkplace.com

Fotos: Flavors & Senses / J.K. Place

Publicado em Hotéis | Tags , , , , , , , , , , , | Deixar comentário

Villa Le Barone


Situado entre a paisagem idílica de vinhas e olivais de Chianti, num ambiente isolado, encontramos a Villa Le Barone.

Na Idade Média era apenas uma torre de vigia, mas a partir do século XVI passou a ser propriedade da famosa família Della Robbia, que a transformou numa quinta. Após a I Grande Guerra, a Marquesa Viviani Della Robbia transformou Le Barone numa propriedade de vinho, mais tarde, a sua filha, a Duquesa Franca Visconti decidiu transformar o local num hotel de luxo.

Actualmente, Le Barone está a cargo do Conte Corso Aloisi e  da sua mulher, Jacqueline.
É um local acolhedor e intimista, onde podemos encontrar a paz que precisamos, ao mesmo tempo que apreciamos todo o carácter de uma mansão privada com mobiliário, livros e arte relativos ao passado da família.


É constituído por 28 quartos, que se situam na casa principal, em casas renovadas, ou no antigo celeiro, e estão decorados duma forma única e clássica.


Podemos desfrutar duma piscina com uma vista esplêndida sobre Chianti, podemos usufruir do court de ténis, do ginásio, e dos seus magníficos terraços enquanto observamos o  verde encantador dos campos da região.


Os seus grandes jardins de rosas fazem-nos sentir a natureza na sua forma mais pura e bela, aqui podemos passear, vislumbrar a atmosfera envolvente ou simplesmente sentarmo-nos a relaxar. É o destino perfeito para trazer a família, ou simplesmente para passar tempo de qualidade com a alma gémea.

O restaurante, situado na antiga adega, serve comida típica da Toscana num ambiente de elegância clássica sempre bem acompanhada pelos famosos vinhos de Chianti.

Le Barone é um encantador hotel de charme, é um local que comporta todo um romantismo inerente misturado com  mistérios do passado, é um local semelhante a um porto seguro, onde queremos a todo o momento refugiar-nos.

Villa Le Barone
Quartos a partir de 195€
Via San Leolino, 19. Panzano/Chianti

*Fotos: Flavors & Senses/Hotel Villa Le Barone

Publicado em Hotéis | Tags , , , , , , , | Deixar comentário

Florença – La Giostra

Florença é diariamente inundada de turistas, que viajam pela cultura, pela arte, pela gastronomia ou simplesmente porque sim. Como todas as cidades turísticas é fácil ser-se enganado e sair defraudado com a cozinha dita tradicional, praticada em muitos restaurantes. Bem, felizmente existem excepções, e alguns restaurantes, ainda que bastante turísticos, mantêm o respeito pela sua herança e a preocupação em servir os melhores ingredientes. Um desses casos é o La Giostra, um restaurante aristocrata, aberto pelo príncipe Dimitri d’Asburgo Lorena que comandou a cozinha  até ao seu falecimento, com base nas seculares receitas da família e num profundo gosto pela gastronomia.

Hoje, o restaurante é comandado pelos filhos onde se destaca o carismático Soldano com as suas pulseiras e anéis que não o deixam passar despercebido. Mas deixemos a história e passemos ao restaurante, uma entrada pouco sedutora transporta-nos para  uma sala de ambiente romântico, decorada sem luxos e com as paredes repletas de fotografias de família com alguns dos seus diversos visitantes, desde as estrelas de hollywood a um comum turista.

Ao almoço o espaço é maioritariamente visitado pelos locais, o que é sempre um bom sinal quando entramos num restaurante em Itália, sendo as noites mais ocupadas pelos turistas que reservam o dia para conhecer a cidade.

Passando ao que realmente importa, a comida, somos recebidos com gentil copo de prosecco e um variado antipasti, cortesia da casa.


Anti pasti, Patê de fígado, bruschetta de tomate, mortadela, croquetes de ricotta e espinafres, pimentos e beringela
isto é o que se poderia chamar de mega amuse buche, com bons elementos onde o destaque vai para o patê de fígado, com uma excelente textura e de sabor intenso.


Carbonara com trufa Branca de Alba
Raviolis de Pecorino e Pêra Williams
Mezzaluna com burrata e molho de tomate
A nosso pedido fizeram uma pequena triologia de alguns dos mais emblemáticos pratos de pasta (a escolha era difícil). Em todos se destaca a qualidade da massa, fresca , feita diariamente pelas mãos de quem sabe do assunto. A carbonara de molho elegante, aveludado e espesso quanto baste ganha outra dimensão com a adição da trufa. Os raviolis de pêra sobressaem pela frescura do prato e a conjugação perfeita com o queijo. Na Mezzaluna, o recheio de burrata dá a humidade certa ao prato numa combinação clássica com o tomate e manjericão. Todas elas merecem direito de prova.


Tagliata de chianina, com alho, azeite e ervas
Aqui não vemos a tagliata tradicional, cortada depois de grelhada, mas sim uma espécie de carpaccio que é levado ao forno com alho alecrim e louro, de forma a absorver os aromas e sabores. Acompanhado com batatas assadas no forno, revelou-se um prato leve e interessante depois dos pratos mais pesados de massa. A carne levemente cozinhada, fica com uma textura ótima e os aromas das ervas realçam muito bem o seu  sabor. Como ponto menos bom, apenas batatas um pouco secas e cozinhadas demais.


Gelado de baunilha com framboesas e morangos
Mais simples é quase impossível, um bom gelado estilo semifredo regado com morangos e framboesas previamente cozinhadas de forma  a criar um leve molho que derrete e se mistura com o gelado. Simples, fácil, com um bom jogo entre a doçura e a acidez.


Sachertorte Imperial
Uma receita de família, ou não tivessem origem austríaca. Um bolo rico e húmido com um recheio muito bom. Combinou bem com a leveza do creme de chantilly, no entanto acabou por nos levar de vencida, tornando-se um pouco pesado para uma refeição já de si tão grande. No entanto, uma excelente opção para os chocoholics.

Acompanhamos a refeição com um San Vito Chianti 2011, um vinho simples de taninos leves e bem frutado que acompanhou suficientemente bem a refeição.

O serviço é descontraído, com simpatia genuína e assertivo nos tempos e atenção ao cliente.

Não poderia deixar de fotografar o carismático Soldano

Considerações Finais
O La Giostra é uma das referências tradicionais da cidade, com o importante papel de mostrar ao mundo cozinha toscana de qualidade, que infelizmente se vai perdendo entre espaços de pizzas al taglio, paninis e massas pré cozinhadas.  Soldano mantêm o lema com que a casa foi criada “in food we trust”, e no fundo somos nós, clientes, que podemos confiar nos pratos que são colocados à nossa frente, a confecção é correta e tradicional, os ingredientes de boa qualidade e o sabor destaca-se em cada prato. não é um restaurante barato à semelhança de todos os bons restaurantes na toscana, mas faz-se valer na qualidade. É um espaço que merece ser visitado, seja num almoço ou num jantar mais romântico a terminar com um passeio pelo praça do Duomo ou nas margens do rio Arno.

La Giostra
Borgo Pinti 12/r – Florença
+39 055 24 13 41

Publicado em Restaurantes - Itália | Tags , , , , , , , | Deixar comentário

Ferran Adrià em entrevista

foto : Phaidon

Depois de ler o artigo do Duarte Calvão (aqui), sobre a entrevista do mítico chef Ferran Adrià, não posso deixar de o partilhar (ver).

A entrevista decorreu durante a visita do chef ao Brasil,  no programa Roda Viva, por onde também já passou Alex Atala. É uma hora e meia de pura educação gastronómica.

 

Publicado em Chefes, Uncategorized | Tags , , , , , | Deixar comentário

Pienza – The Townhouse Caffe

Inserido no Hotel La Bandita Townhouse, o Townhouse Caffe segue as mesmas linhas da casa, uma decoração arrojada com combinações de peças clássicas e modernas muito bem conjugadas. A cozinha é aberta, e quem, como nós, tiver oportunidade de se sentar ao balcão enquanto acompanha a confecção dos seus pratos terá certamente divertimento garantido, ainda que não ande por lá o Gordon Ramsay.  Todo o trabalho desenrola-se de forma ordenada e competente.

Voltando ao espaço, o restaurante está aberto para o exterior não havendo a necessidade para os visitantes de entrar no hotel para chegar até ao restaurante, algo que infelizmente tantas vezes afasta os comensais dos restaurantes de hotel. A esplanada é outro dos pontos de destaque e será certamente o ponto alto para quem visitar Val D’Orcia e Pienza nos dias quentes de Verão. O ambiente tal como o Hotel é descontraído e informal, sem toalhas nas mesas nem grandes adornos, com madeira, flores  e tons de laranja a aquecer a sala.

Mas passemos ao que realmente importa, a comida, aqui o ponto de partida do receituário é a qualidade dos ingredientes, maioritariamente biológicos e fornecidos por pequenos produtores locais, assim a carta flui com o momento, o dia e a estação ao sabor do que melhor se encontra. A inspiração é claramente Toscana, cujos chefes transportam para combinações/apresentações mais modernas.

Começamos a refeição com um simpático Prosecco, cortesia da casa, ao qual se seguiu a escolha entre as poucas mas interessantes ofertas do menu. Entre a carta de vinhos o destaque vai claramente para os grandes Brunellos da região, seguindo também o mesmo princípio que na cozinha, pequenos produtores com trabalho orgânico e biológico. Optamos por começar com flores de curgete recheadas com ricotta e  molho  de tomate.  Um excelente início, o polme seco e bem crocante, recheio cremoso  muito bem conjugado com as notas ácidas e frescas do molho de tomate. Seguiu-se uma burrata com molho de tomate, uma crosta crocante em volta de um queijo cremoso e delicado, como uma boa borrata deve ser, a conjugar bem com um molho de manjericão e com o mesmo molho de tomate que acompanhava as flores de curgete. As primeiras impressões foram-nos deliciando enquanto acompanhávamos a preparação dos restantes pratos, tagliolini com cogumelos Porcini e o Hambúrguer de Chianina. A massa caseira, tagliolini, cozinhada no ponto certo e envolvida num aveludado molho de cogumelos Porcini, imbatível durante a sua época e sempre uma presença certa em qualquer restaurante toscano. Um prato com tanto de simples como de bom, onde brilharam os seus ingredientes. No hambúrguer, procuraram trazer um pouco da América até à sua cozinha ( ou não fosse a origem da esmagadora maioria dos visitantes da toscana), carne de vitela Chianina (a tradicional da região), queijo Pecorino de Pienza e uma ótima maionese de menta. A carne estava perfeita e bastante suculenta e um queijo que deixa memórias num excelente conjunto onde apenas o pão não satisfez na plenitude.

Hambúrguer de Chianina

Para finalizar nada como um clássico, Tiramisù, presente em todos os restaurantes italianos (ou quase), ganha aqui uma versão desconstruída e mais leve. Camadas finas, como papel de massa e chocolate, um delicado creme de mascarpone e uma leve espuma de café. Diferente, sem comprometer no sabor e a ganhar na leveza e textura.

Acompanhamos muito bem a refeição com um Corto Pavone 2008 Brunello de Montalcino, como não poderia deixar de ser. Um vinho de excelente qualidade, encorpado mas com bom balanço, excelente acidez e taninos finos com forte presença de fruta escura e bem madura. O Serviço de sala é semelhante ao hotel, relaxado e descontraído mas  feito com competência e simpatia (verdadeira). Da cozinha foi interessante ver o trabalho do chef Dario, onde se percebe facilmente a importância de um bom mise en place para o correto funcionamento de qualquer cozinha.

Considerações Finais
Quando entramos no Townhouse Caffe a ideia é de que entramos num restaurante de Londres ou Nova Iorque, num ambiente para hipsters e foodies descontraídos, mas não, estamos em Pienza, numa das mais pequenas e charmosas cidades do mundo, onde o clássico renascentista é traça quase exclusiva. Para quem passa pela cidade a visita é obrigatória, basta pôr de lado a ideia da comida da avó italiana por um instante e abraçar esta aproximação moderna aos produtos mais artesanais e típicos da região. Os pratos são corretos e bem conjugados sem ser exuberantes, de forma a  permitir brilhar a matéria prima. Quando o objectivo é descontrair e comer bem, o que mais se pode desejar?

E adivinhem, também podem passar por lá ao pequeno almoço, onde um iogurte de cabra produzido de forma artesanal em Pienza me deixou arrebatado.

*Texto: João Oliveira | Fotos: La Bandita Townhouse

La Bandita Townhouse
Quartos a partir de 195€
111 Corso Rossellino, Pienza
+39 0578 749 005
info@la-bandita.com

Publicado em Restaurantes - Itália | Tags , , , , , , , , , , , | Deixar comentário

La Bandita Townhouse

Quando alguém com uma vida frenética e cheia de adrenalina decide sair da loucura do dia a dia e ir viver para Pienza, construindo uma casa de campo e um hotel, o resultado é simplesmente brilhante!

Assim foi com john Voigtmann, empresário na indústria musical em Nova Iorque, que juntamente com a esposa e uma paixão pela região de Pienza e Val d’Orcia na Toscana, tiveram a ideia de criar um hotel com um conceito de design moderno e atendimento altamente personalizado, e a verdade é que o conseguiram, e de uma forma irrepreensível!
Contra todas as dúvidas, iniciaram a sua jornada com a abertura de um boutique hotel, uma espécie de casa de campo, o La Bandita, em 2007.


Passados seis anos, decidem expandir-se para o La Bandita Townhouse, um luxuoso design hotel, mesmo no coração de Pienza.
E é precisamente sobre este último que vou falar-vos e descrever-vos a nossa magnífica experiência!


Lembro-me perfeitamente deste dia, chegamos a Pienza, um pouco ainda desorientados com os encantos da região, e ligamos para o hotel para que nos guiassem até à sua rua específica, a Martina, que nos atendeu a chamada, veio ter connosco ao carro, com um sorriso enorme e um ar super descontraído, “hi guys” disse ela! E a partir deste momento tudo foi feito no sentido de tornar a nossa estadia em Pienza em algo memorável.

Quando entramos no La Bandita tivemos a sensação palpável de energia e entusiasmo, um sentimento real de que algo interessante está sempre a acontecer ali.


À medida que se foi desenrolando o tempo, mais nos apaixonávamos por todo o encanto do hotel. Design moderno mas com o traça rústica da Toscana, um bar e biblioteca, onde pudemos descontrair com um bom vinho enquanto observávamos um pouco da anterior vida de John, a parede estava repleta de discos de algumas das estrelas cuja carreira ele acompanhou!


O hotel é constituído por doze quartos, todos com design moderno, com todo o conforto aliado a toda a sofisticação, camas imensas e cómodas, impressionantes detalhes que honram o passado do edifício (um antigo mosteiro), como paredes de pedra exposta e tectos altos com vigas de madeira.


É irresistível todo o bom gosto colocado na requalificação do edifício de interior moderno e inovador quando o seu exterior é totalmente de estilo renascentista!

O hotel conta ainda com um restaurante descontraído e moderno, de raiz italiana que se abre ao mundo com apontamentos de cozinha internacional, sobre a qual dedicaremos um outro artigo.

Toda a estadia foi acompanhada de jovialidade, simpatia, descontração e carinho por parte de toda a equipa. Sentimo-nos não num hotel, mas sim em casa de amigos próximos.

É bem perceptível a filosofia de John e de Ondine, mostrar-nos a simplicidade, o relaxamento e a beleza da vida em Pienza, criando um espaço onde eles próprios gostariam de ficar hospedados, um espaço confortável, divertido e sofisticado num dos mais belíssimos locais do mundo(ver artigo Pienza).

Começo a acreditar no que diz John,
“Stay a few nights, and they will wave as you pass. Maybe you will consider giving it all up too…” !!!

La Bandita Townhouse
Quartos a partir de 195€
111 Corso Rossellino, Pienza
+39 0578 749 005
info@la-bandita.com

*Texto: Cíntia Oliveira | Fotos: La Bandita Town House

Publicado em Hotéis | Tags , , , , , , , , , | Deixar comentário