Quinta De La Rosa

Quando o mundo foi idealizado o Douro foi um dos locais escolhidos para representar a perfeição! E esta é cada vez mais uma certeza quando regresso ao Douro!

Desta vez, regressamos para conhecer a Quinta de La Rosa, localizada muito próxima do centro do Pinhão.

Esta Quinta, de cunho bem familiar, foi oferecida como presente de baptismo a Claire Feuheerd, avó da atual gestora (Sophia Bergqvist), em 1906. A empresa de exportação de vinho do porto da família foi vendida nos anos 30, no entanto, a La Rosa foi mantida e gerida por Claire.

Em 1988 Sophia e o seu pai Tim Bergqvist decidiram recomeçar o negócio de família, lançando a Quinta de La Rosa como um dos primeiros produtores e engarrafadores de vinho do Porto no Douro.

Atualmente, a Quinta é gerida por Sophia, com a ajuda do seu irmão, e do enólogo Jorge Moreira, que tem criado uma ligação muito forte à marca nos últimos anos.

Vinhas do Vale do Inferno 

Os 55 hectares de vinhas, localizadas no coração do Alto Douro Vinhateiro, na margem direita do rio, permitem produzir anualmente cerca de 50.000 litros de porto e cerca do triplo de vinhos de mesa.

A Quinta de La Rosa está na família há várias gerações, mas são também várias as gerações que têm cá trabalhado, razão pela qual este local tem um ambiente tão familiar e acolhedor.

Fomos à La Rosa para conhecer o Hotel e aproveitar a abertura do seu novo restaurante, A Cozinha da Clara, cujo nome pretende honrar a memória de Clara Feuheerd.

Primeira Impressão
Não há descrição possível quando estamos a referir-nos ao Douro!
A Quinta de La Rosa fica numa das encostas do Douro, com as vinhas a descer até ao rio em socalcos, cujas cores se mesclam criando uma natureza com uma harmonia perfeita.

Fomos recebidos por uma equipa jovem e simpática, numa receção que serve também de loja e sala de provas para os visitantes da Quinta. Um espaço moderno onde estão expostos os vinhos, azeites e vinagres de produção própria.

Daqui fomos encaminhados até ao nosso quarto que ficava na Quinta Amarela, muito próxima da Casa Principal.

Quartos
Já há mais de 20 anos que a Quinta recebe hóspedes, o que fez com que desenvolvesse um refúgio especial para quem ama o douro e os seus vinhos. Assim, em 2012 a Quinta de La Rosa foi devidamente restaurada de modo a que pudesse acomodar mais pessoas e com alojamento de maior qualidade.

 Quinta Amarela

A quinta conta com 21 quartos mais uma casa com capacidade para 6 pessoas.
Ou seja, há quartos na Casa de Família, onde estamos em contacto direto com 100 anos de história, há quartos na vinha, cujos nomes nos remetem para membros da família, e há duas casas, a Quinta Amarela (onde ficamos) que se divide em cinco quartos mas que pode ser alugada como um todo, e a Quinta das Lamelas, com capacidade para seis pessoas.

Quinta Amarela


A Quinta Amarela possui, então, cinco quartos, e um espaço comum, uma sala com todo o conforto duma casa de família. Além disto tem também um terraço e uma piscina privada. Ficamos no quarto Amarela 1, mas é interessante pensar que poderíamos ter juntando 4 casais amigos e ter alugado a casa toda só para nós!


O nosso quarto era um Superior Duplo, com um estilo mais rústico do que os quartos recentemente recuperados da casa principal. A cama era confortável e a vista que se tinha de uma das janelas era o Douro. À disposição tínhamos água, chás e café.

No entanto, faltaram-me pequenos detalhes, como um miminho de boas-vindas e um roupão (eu não vivo sem roupão!)
O melhor da Quinta Amarela será talvez o seu terraço e piscina cuja vista nos remete para um paraíso chamado Douro!

Restaurantes
A cozinha da Clara, um espaço que pretende homenagear a avó de Sophia, é o único restaurante da Quinta e foi a sua inauguração em Maio de 2017 que nos levou até lá.

Um espaço a imitar o interior duma pipa e com quadros de família espalhados por algumas das paredes, mas que para mim poderia ter um toque menos moderno e um pouco mais tradicional.
Aqui tivemos a oportunidade de experienciar quer o pequeno-almoço quer o jantar.


O pequeno-almoço foi tomado no terraço cuja localização parece permitir-nos tocar o rio! Incrível!


Pequena nota apenas para o facto dos ovos serem uma opção extra ao pequeno-almoço, e num local cuja a maioria dos hóspedes são ingleses isto não faz grande sentido.

Para o jantar a proposta da Cozinha da Clara assenta nos sabores nacionais revisitados pela mão do jovem chef Pedro Cardoso. Uma cozinha de assinatura que transporta não só a herança do Douro, com os azeites, os vinhos, o pão e os enchidos como também alguns sabores nacionais de outras paragens, como o Leitão ou as sardinhas.

Chamuça de Sardinhas com Pimentos 

 Terrina de Leitão e Cogumelos 

A harmonizar estiveram, como é óbvio, os bons vinhos da Quinta, do Rosé ao Reserva Tinto e claro, como não poderia deixar de ser, o clássico Colheita de 2008 e o Tawny 20 anos que estiveram em “desafio” para acompanhar a sobremesa à base de chocolate e frutos vermelhos.

Uma nova cozinha, um novo restaurante a juntar-se à cada vez mais interessante, mas ainda curta, oferta gastronómica do Douro.

Serviços
A Quinta de La Rosa oferece uma série de opções e atividades que fazem da nossa estadia um momento real de contacto com o Douro, o vinho, as vinhas e a natureza.

Assim, é obrigatória uma visita à adega e a toda a produção de vinho com a prova como finalização.

Na La Rosa é-nos possível acompanhar todo o processo de produção desde as vinhas até ao engarrafamento. É possível realizar esta visita todos os dias de Abril a Outubro às 11h.


No final da visita é realizada uma prova de vinhos na loja da Quinta, o que nos permite comprar quer os vinhos, os azeites ou o vinagre.

Durante a altura da vindima, em Setembro ou Outubro (nos anos normais a nível climático!), é possível, também, participar na mesma.

Mas a estadia na Quinta de La Rosa está repleta de atividades que nos colocam em contacto direto com a natureza, como passeios, nomeadamente à vinha Vale do Inferno (cerca de 20min a passear ao longo das vinhas), que é uma verdadeira obra de arte, ou à Casa das Lamelas, (cerca de 1h30) que nos permite visualizar o Douro e as vinhas duma localização bem elevada.

É possível também a realização de piqueniques, que podem ser organizados em diferentes locais ao longo da quinta sempre com a melhor vista do Douro.

À volta da quinta são diversos os passeios, seja uma caminhada até ao Pinhão, para visitar a histórica estação ferroviária e provar as iguarias do talho Qualifer, seja uma viagem mais demorada até à belíssima aldeia de Provesende.


Mas, para quem prefere relaxar simplesmente na La Rosa, as opções podem passar, essencialmente, por usufruir das piscinas, quer a da Casa Amarela, quer a da casa principal, isto se o clima o permitir, ou então descansar simplesmente nos vários recantos enquanto se lê um bom livro.

Na minha estadia mudava, talvez, alguns detalhes (como já fui referindo) que não sendo graves, poderiam levar a experiência a outro nível.

A La Rosa situa-se num pequeno pedaço do céu, as vistas são estonteantes e o contacto com a natureza fazem deste local um local com magia própria.

Quinta de La Rosa 
Quartos a partir de 125€
Quinta de La Rosa, 5085-215  – Pinhão (Douro)
+351 254 732 254
bookings@quintadelarosa.com

 English Version

 Fotos: Flavors & Senses

Nota
Estivemos na Quinta de La Rosa a convite, sendo que isso em nada altera o nosso trabalho cuja opinião e o texto são da exclusiva responsabilidade do seu autor.

This entry was posted in Hotéis and tagged , , , , , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Skomentuj

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*